• Home
  • Notícias
  • Diocese
  • Retiro do Clero – 2022: atenção para a vida interior e sentido da vocação

Retiro do Clero

Retiro do Clero – 2022: atenção para a vida interior e sentido da vocação

No recolhimento anual, padres diocesanos foram incentivados a resgatar a vida interior e o sentido primeiro da vocação sacerdotal.
 |  Pe. Rodrigo Antonio  |  Diocese
Foto: Pe. Rodrigo Antonio da Silva

Os padres da Diocese de Campo Limpo realizaram, entre os dias 12 e 15 de setembro, o retiro anual do clero. Como em 2021, o Mosteiro de Itaici, localizado em Indaiatuba, foi o local em que o clero se reuniu para o recolhimento propício para um encontro com Deus.

O abade do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, Dom Filipe da Silva, osb, conduziu as pregações do retiro dos padres com simplicidade, sem deixar de ser profundo. Alagoano, Dom Filipe foi eleito abade do Mosteiro de Olinda em 2006, onde exerceu a função até 2012, quando, aos seus 50 anos, foi eleito abade para outro Mosteiro, o do Rio de Janeiro. Tornou-se o 87º abade nos 400 anos de história da comunidade beneditina no Rio.

O caminho proposto por Dom Filipe ao longo do recolhimento teve início com a apresentação de cinco motivações para melhor proveito dos dias de retiro: em primeiro lugar, entender o que é um retiro espiritual: “É preciso saber o porquê e o para que estamos vivendo. À luz destas pausas, o retiro é uma ocasião privilegiada de tomarmos a cada ano uma maior consciência do nosso chamado, e assim darmos mais ritmo e melhor harmonia à nossa alma na sua busca de união com Deus”, apontou o abade.

As motivações seguintes são lançadas a partir de versículos bíblicos: onde estás (Gn 3,9); onde está o meu irmão (Gn 4,9); tirar as sandálias (Ex 3,5); ficar na companhia de Jesus (Mc 6,31).

Apresentadas as motivações, os momentos seguintes foram repletos de temas que pavimentaram o caminho de meditações propostas para o retiro. O primeiro deles chama a atenção: ‘Estou em crise’. Através do sugestivo título, o pregador passou pelos diversos sentidos de crise que uma pessoa pode experimentar e, evidentemente, a crise espiritual. Visitando a valorosa tradição beneditina, Dom Filipe apresentou a noção da acídia, o nome dado para a crise espiritual: “quem é assim acometido, não sente coragem para prosseguir, mas também não ousa deixar tudo e voltar à estaca-zero”, destaca.

A partir da Parábola do Filho Pródigo (Lc 15,17), Dom Filipe identifica a atitude necessária para uma autêntica vida cristã, marcada pela interioridade: a necessidade de entrar em si mesmo. Na parábola é possível perceber como o filho mais novo revisou sua vida, preparou as palavras que deveria dizer e colocou-se a caminho rumo à casa de seu pai. A conversão exterior foi precedida pela interior.

Quem é assim acometido, não sente coragem para prosseguir, mas também não ousa deixar tudo e voltar à estaca-zero

Dom Filipe da Silva, osb

Os padres foram incentivados também a reavivar a vida de oração pessoal numa das colocações do abade. Além do tesouro da tradição beneditina, Dom Filipe apresentou o próprio Cristo como modelo de oração e vida interior e a necessidade da conciliação de trabalho e vida de oração: “saibamos rezar como se tudo dependesse de Deus e trabalhar como se tudo dependesse de nós”.

A recordação do sentido da vocação sacerdotal foi um dos pontos altos do retiro, reforçada pelas cinco vivências fundamentais para bem realizar o chamado de Deus: Viver o seguimento de Cristo, viver a liturgia, viver a comunhão fraterna, viver a Palavra de Deus, viver o Magistério da Igreja e as orientações de seu bispo e da Diocese. A conclusão das meditações trouxe a reflexão sobre o cálice da vida: segurar, erguer e beber o cálice da vida. Trata-se de uma reflexão baseado na obra ‘Podeis Beber o Cálice?’ de Henri Noewn, padre e teologo holandês com muitos livros de espiritualidade publicados.

Visita no retiro

Na manhã da terça-feira, um grupo de seminaristas, acompanhados do diácono Orlando compareceram ao retiro para convidar os padres para participar da ordenação que acontecerá no próximo dia 7 outubro na Catedral Sagrada Família, às 20 horas. Cinco seminaristas serão ordenados diáconos e o diácono Orlando Pereira será ordenado padre. Os rapazes foram saudados pelos padres pela aprovação da ordenação.

Nomeação do novo bispo

Na manhã da quarta-feira, dia 14 de setembro, festa da Exaltação da Santa Cruz, os padres foram surpreendidos pela nomeação do novo bispo para a Diocese de Campo Limpo. Após Dom Luiz Antônio Guedes completar os 75 anos de idade em novembro de 2020, o Papa Francisco aceitou sua renúncia como bispo diocesano e nomeou o padre Valdir José de Castro, ex-superior geral da Pia Sociedade de São Paulo. Os padres ficaram entusiasmados pela nomeação e já desejosos de saudar o bispo eleito.


Notícias Relacionadas

Nos passos de Santa Teresa, clero de Campo Limpo realiza seu retiro anual

Encontro deste ano marca o retorno ao Mosteiro de Itaici e teve por fundamento a espiritualidade de Santa Teresa de Jesus.

Clero da diocese de Campo Limpo se reúne em manhã de estudos sobre redes sociais

Aconteceu na quinta-feira, 04, a manhã de estudos para o clero da Diocese de Campo Limpo. A formação tratou o tema Redes Sociais e foi conduzida por duas especialistas na área, que trataram entre outros temas, sobre comportamento e segurança na rede. Durante a abertura da formação, depois da ora...

Clero diocesano realiza seu retiro anual

Juntamente com o bispo diocesano, padres e diáconos da Diocese se recolheram para a realização do retiro anual.

Clero Diocesano se reúne para formação sobre fenômeno do suicídio

Pouco discutido, o tema do suicídio se tornou urgente no Brasil a partir do crescente número de suicídios entre os membros do clero.

Cúria Diocesana

Rua Lira Paulista, 30
Jd. Bom Refúgio - São Paulo
05788-320

11 3584-9000


© - Diocese de Campo Limpo.
Voltar ao Topo