fbpx

Veneza: descobertos antigos afrescos sob mosaicos

Em coletiva o Patriarca de Veneza, Francesco Moraglia comunica uma descoberta surpreendente durante as restaurações da Basílica da Ilha de Torcello. Foram encontrados fragmentos de afrescos do século IX, os mais antigos da região veneziana. "Um testemunho da fé mariana e das raízes cristãs de Veneza"

Vatican News | Segunda, 27 Julho 2020 11:13
Os fragmentos afrescos encontrados sob os mosaicos da Basílica de Torcello Os fragmentos afrescos encontrados sob os mosaicos da Basílica de Torcello Vatican Media

O Patriarca Francesco Moraglia comenta ao Vatican News a excepcionalidade da descoberta dos fragmentos de um afresco do século IX que se encontrava sob os mosaicos da Basílica de Santa Maria Assunta na Ilha de Torcello em Veneza: “Um testemunho das profundas raízes cristãs de Veneza, cuja arte deve seu princípio ao Evangelho trazido a estas terras desde os primeiros séculos de nossa era". Por ocasião da coletiva de apresentação o prelado falou sobre o valor da arte sacra como “catequese também para os que não creem e, em sede litúrgica, como expressão de uma fé cristã celebrada e acreditada”.

Um testemunho da Alta Idade Média em Veneza

A incrível descoberta ocorreu durante a restauração para conservação das paredes e dos mosaicos das absides central e do diacônico, do templo cristão. Portanto, antes da realização da decoração em mosaico, antigas pinturas murais decoravam completamente a igreja entre os séculos IX e X. Os fragmentos surgiram acima das abóbadas e estavam cobertos por uma camada de escombros desde a Idade Média: sua existência era uma hipótese, mas nunca foram estudados. Estes afrescos constituem uma peça fundamental para a reconstrução da história artística não apenas da igreja de Torcello, mas de toda a Alta Idade Média em Veneza e no Adriático.

A Virgem e São Martinho

As obras revelaram dois ciclos iconográficos distintos: um comovente painel pictórico com histórias da Virgem, onde aparece uma representação vívida de Maria e uma serva, e um segundo registro pictórico com os eventos hagiográficos de São Martinho. Este último é representado como bispo nos mosaicos, enquanto nos afrescos ele apresenta a iconografia tradicional do soldado da caridade. "Esta descoberta - continua Patriarca Moraglia - está dando resultados inesperados: de uma forma particular está evidenciando uma fé mariana enraizada no território de Veneza. Também é importante a figura de Martinho de Tours em um triângulo que liga a Polônia, a França ocidental e a ilha de Torcello à fé cristológica e à luta contra o arianismo".

A Basílica de Torcello nos séculos

As imagens são acompanhadas de legendas pintadas com caracteres tipicamente medievais. Segundo os arqueólogos e epigrafistas da Universidade Ca' Foscari de Veneza, o que surgiu permitirá uma reconstrução do aspecto decorativo da igreja antes que ela fosse coberta com mosaicos do século XI.  As informações estratigráficas coletadas ajudam a retraçar a cronologia das fases de construção de todo o complexo da Basílica. Por exemplo, a ideia de que a forma e o volume da igreja atual possam ser atribuídos ao século IX, quando um edifício eclesiástico, quase duzentos anos antes, tinha sido incorporado ao novo projeto arquitetônico que também incluía um percurso martirológico e processional atrás do altar. As absides eram decoradas com afrescos, o chão coberto com um mosaico preto e branco, enquanto muitas esculturas estavam no salão de culto. Mais tarde, como documentado pelas restaurações de conservação em andamento, a igreja foi transformada para ficar com o aspecto que conhecemos hoje.

A novidade do passado

Sobre as "novidades que vêm do passado e testemunhos antigos que confirmam o papel de Veneza como ponte entre o Oriente e o Ocidente", fala o padre Gianmatteo Caputo, Delegado Patriarcal para o Patrimônio Cultural. "Os afrescos - explica ao Vatican News - não serão visíveis porque estão sob o teto: no entanto, serão salvaguardados e preservados como um testemunho da história de Veneza". As intervenções de conservação foram possíveis graças ao financiamento do "Save Venice" no âmbito de um programa para tornar seguro o edifício eclesiástico compartilhado com o Patriarcado de Veneza após as inundações de 2019 que danificaram mais de 80 igrejas. Foram fundamentais as contribuições recebidas através da campanha #AmericaLovesVenice feita por doadores americanos que reconheceram Torcello como um lugar central na história da Lagoa. "A Igreja - conclui padre Caputo - é contemporânea do Palácio Doge: estamos falando de uma época em que Veneza estava se desenvolvendo e mostrando toda sua grandeza".