Em breve teremos um novo site! Fique atento.

Diocese é representada em Fórum Internacional de Cultura e Sustentabilidade

No último dia 28 de junho, a pastoral da Ecologia e Meio ambiente da diocese de Campo Limpo (PASECOMB) esteve representada no Fórum Internacional Cultura e Sustentabilidade “Humanos e Rios” na cidade de Hangzhou – China , através de um dos seus membros, Diego Amorim.

Redação | Terça, 11 Julho 2017 14:57
Diocese é representada em Fórum Internacional de Cultura e Sustentabilidade

O Fórum organizado pela ONG chinesa Green Zhejiang, em parceria com o governo local da província de Zhejiang teve como discussão os pontos 6 e 14 dos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Onu, aprovados por 193 países membros em 2015, os quais se comprometeram implementar as medidas até o ano de 2030.

O ponto 6: água potável e saneamento; e o 14: Vida na água; foram discutidos no evento e contaram com a presença de pesquisadores, estudiosos e autoridades ligadas as políticas públicas de acesso a água limpa e saneamento básico , assim como a preservação dos rios, mares e seus respectivos ecossistemas.

O Brasil, o país da maior reserva de  água potável do mundo, com cerca de 12% do total mundial, foi representado pelo cientista social da nossa diocese, Diego Amorim  que  falou a respeito do bioma amazônico e a relação dos rios com as comunidades locais. Sua apresentação com o título : A Amazônia: Luta e resistência na proteção do maior bioma do mundo e sobrevivência da população indígena, foi assistida por uma plateia de aproximadamente 600 pessoas entre elas a representante do  programa Chinês da Nações Unidas para o progresso do Desenvolvimento, Sra. Yi Liu e o secretário Geral do Fórum da Água de Bangladesh, Sr. Mohammad Abdul Matin.

De acordo com Diego, está foi uma oportunidade ímpar para discutir à luz da  Encíclica Laudato Si, do papa Francisco e a CF 2017, propostas a uma ecologia integral, onde ecologia ambiental, econômica e social formam  o tripé do desenvolvimento harmônico. Concluindo sua apresentação, indagou a todos a uma rede de solidariedade mundial com o planeta .

“Finalmente gostaria de agradecer a todos por terem escutado um pouco da realidade do Bioma Amazônico e a minha experiência com comunidades indígenas de São Gabriel da Cachoeira . Acredito que estamos aqui, porque mesmo que os países tenham fronteiras ... os animas , o ar que respiramos e a água dos nossos rios não as tem . E se pessoas querem construir muros , nós construiremos pontes de solidariedade em todo o planeta. Obrigado“.