Em breve teremos um novo site! Fique atento.

Diocese se prepara para os 20 anos da Catedral e 60 anos de sacerdócio de Dom Emílio

Há 20 anos a Igreja mãe da Diocese era consagrada a Deus pelo então presidente da CNBB Dom Lucas Moreira

Redação | Segunda, 19 Junho 2017 12:36
Diocese se prepara para os 20 anos da Catedral e 60 anos de sacerdócio de Dom Emílio Imagem: Luciano Batista

O dia 29 de junho será de grande solenidade para a Diocese de Campo Limpo: nesta ocasião serão comemorados os 20 anos de dedicação da Catedral Santuário Sagrada Família e os 60 anos de ordenação sacerdotal de Dom Emílio Pignoli, primeiro bispo de Campo Limpo, agora emérito.

Além da Missa Solene, presidida por Dom Emílio às 20 horas, haverá a abertura da exposição fotográfica “60 anos Consolidando Vocações”, retratando a trajetória do bispo emérito.

 

A Catedral Sagrada Família

Em 1989 o Papa João Paulo II criou 4 novas dioceses em São Paulo, com territórios desmembrados da Arquidiocese de São Paulo. Dentre as novas dioceses, Campo Limpo é a única que precisou construir uma Catedral, pois em seu território não havia nenhuma outra igreja que comportasse a configuração de uma Catedral.

Após a doação de um terreno no largo do Campo Limpo, Dom Emílio lançou um concurso para o projeto da Catedral. O projeto escolhido foi desenvolvido pela equipe do escritório Projeto Paulista. Fábio Gonçalves, então arquiteto do escritório e responsável por acompanhar todas as etapas da obra, explica que ideia foi de “um espaço amplo, aberto, o maior vão possível que pudesse abrigar mil pessoas sentadas sem qualquer obstáculo prejudicando a visibilidade desse espaço, sem pilares, portanto".

As obras foram iniciadas em 1992 e contou com a doação de inúmeros benfeitores que se desdobraram em auxiliar na construção.

Possui importante participação no projeto o artista plástico Cláudio Pastro, autor do painel da Sagrada Família e dos painéis laterais que compõem a Catedral. Em diversos momentos Pastro trabalhou juntamente com Fábio para ajustes no espaço litúrgico.

Inovador e arrojado, o projeto da Catedral Sagrada Família ainda hoje atrai estudantes de arquitetura que a visitam para conhecer o projeto. Para a Diocese de Campo Limpo, há 20 anos ela se tornou a Casa Mãe da Diocese. Foi dedicada no dia 29 de junho de 1997 pelo Cardeal Dom Lucas Moreira Neves, então presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Dom Emílio Pignoli

A história de Dom Emílio Pignoli está muito além de Campo Limpo. Nascido em Cremona aos 14 de dezembro de 1932, Emílio ingressou para o seminário local em 1952. Atendendo ao apelo do Papa Pio XII para a evangelização do Brasil, o então seminarista Emílio vem para terras brasileiras e, pertencendo agora à Diocese de Ribeirão Preto, conclui seus estudos no Seminário Central do Ipiranga. Aos 29 de junho de 1957, dia de São Pedro e São Paulo, foi ordenado sacerdote e permaneceu algum tempo como vigário na cidade de Cravinhos (SP).

Em 24 de junho de 1976 foi ordenado Bispo em Orlândia e assumiu a Diocese de Mogi das Cruzes, onde permaneceu até 1989, quando foi convocado pelo Papa João Paulo II para assumir a recém criada Diocese de Campo Limpo. Permaneceu à frente da Diocese até 2008, quando apresentou a renúncia pelo limite de idade.

 Ordenou, segundo seus cálculos, mais de 150 padres ao longo do seu episcopado. Promoveu incansavelmente as vocações, em todas as suas dimensões. Em Campo Limpo criou por volta de 76 paróquias, deixando a Diocese com 100 paróquias ao final do seu governo diocesano. Construiu 4 seminários diocesanos, a Catedral Sagrada Família, além de inúmeros outros trabalhos desenvolvidos para estruturar a Diocese que assumiu com empenho e dedicação. 

Participe desta grande solenidade!

Data: 29 de Junho, às 20 horas.

Catedral Santuário Sagrada Família
Rua Campina Grande, 400 - Jd. Bom Refúgio - São Paulo
Ao lado do Terminal Campo Limpo - Tel.: 11 5842-2120